Sífilis

sífilis 300x200 - Sífilis

O Brasil vive uma epidemia de sífilis, segundo o Ministério da Saúde. Entre 2015 e 2016, o número de casos de transmissão por relações sexuais e contato com sangue contaminado aumentou 27,9%. A doença traz graves riscos à saúde e, por isso, é necessário redobrar a atenção. Continue a leitura e veja como se proteger desta doença sexualmente transmissível (DST).

O que é sífilis?

A sífilis é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum e pode ser adquirida ou congênita. Se não for tratada, pode causar cegueira, paralisia, problemas em ossos e órgãos internos e levar à morte. Veja as diferenças entre os tipos de sífilis:

  • Sífilis adquirida – é transmitida por meio de relação sexual (vaginal, anal ou oral) ou por contato com o sangue infectado;
  • Sífilis congênita – é transmitida da mãe para a criança durante a gestação ou o parto.

Como se proteger da sífilis?

O uso do preservativo é muito importante seja masculino ou feminino.

  • Utilize o preservativo sempre, inclusive durante o sexo oral;
  • Não reutilize a camisinha;
  • Não use duas camisinhas ao mesmo tempo, pois elas podem se romper devido ao atrito de uma com a outra;
  • Fique atento para feridas na boca de parceiros.

Quais são os sinais e sintomas da sífilis?

A sífilis é uma doença de evolução lenta que pode se manifestar de várias formas clínicas, sendo classificada em diferentes estágios. Os principais sinais e sintomas de cada estágio são:

Sífilis primária – lesão única no local de entrada da bactéria (pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus, boca ou outros locais). Geralmente não dói, não coça, não arde, não tem pus e aparece entre 10 e 90 dias (média de 21 dias) após o contágio.

Sífilis secundária – manchas no corpo, principalmente na palma das mãos e planta dos pés, são as mais comuns. Muitas vezes são confundidas com alergia. Surgem entre seis semanas e seis meses após aparecimento da lesão inicial.

Sífilis latente – não aparecem sinais ou sintomas, sendo o diagnóstico realizado por testes imunológicos. É dividida em sífilis latente recente, de menos de dois anos de infecção, e sífilis latente tardia, de mais de dois anos da infecção.

Sífilis terciária – geralmente apresenta lesões cutâneas, ósseas, cardiovasculares e neurológicas, podendo levar à morte. É possível que a doença leve décadas para se manifestar.

Se o preservativo romper ou você tiver algum sintoma, é importante fazer testes para DSTs. Além disso, a gestante deve realizar o teste no início da gestação, pois o diagnóstico precoce possibilita o tratamento adequado e a diminuição da mortalidade em bebês.

  • Realize exames preventivos.
  • Faça sexo seguro. Escolha a vida!
  • Consulte seu médico!

Fonte: Parceiro Qualicorp. Revisado por Dr. Assuero Azevedo CRM-BA 23501